grupo de selos

Quais são os tipos de selos?

Para começar a falar dos tipos de selos existentes, juntos cada conjuntura, temos que citar o começo da sua circulação.

Onde surgiram os primeiros tipos de selos?

Foi exatamente em 1° de agosto de 1843 que os correios do Império colocaram a utilização de selos oficialmente no mercado, tal como sua circulação. Tudo começou com o famoso “Olho de Boi”.

Tipos de selos

Tais artefatos foram feitos por Carlos Custódio e Quintino José de Faria, sendo impressos de maneira exata e com qualidade pela própria Casa da Moeda do Brasil sem nenhum tipo de denteação. Para isso, os confeccionistas utilizaram algumas capas de cobre para garantir a qualidade final. Dentro deste conceito, podemos destacar duas vias:

  •         Cifra:

As cifras não contém nenhum tipo de coloração adicional e consegue trazer pequenos detalhes estéticos, tais como números e qualquer outro ornamento;

  •         Fundo arabesco

Sendo bem preto e de forma elíptica, trata-se de um estilo mais simples que a cifra, mas com maior possibilidade de produção graças a sua facilidade.

Após um curto espaço de tempo onde o Olho de Boi circulou com mais força, o Império acabou por providenciar que os selos fossem melhor impressos em um formato muito menor, utilizando um papel bem mais fino com cota. Tudo isso foi autorizado graças ao Direito Geral dos Correios no primeiro dia de Agosto.

Tipos de Selos

Coleção de selos

Já entrando na era um pouco mais moderna, vou mostrar para você quais são os tipos de selos postais mais utilizados dentro do mundo da Filatelia. Lá vai:

  •         Selo Comemorativo

Ele era mais frequentemente utilizado em 2009. É um selo postal geralmente de tiragem limitada, direcionando algum tipo de comemoração ou destaque de data sociocultural. Tais selos geralmente repercutiram mundialmente por levantar um tipo de cultura típica brasileira, trazendo uma boa quantidade de ornamentos;

  •         Selo Especial

É um selo temática que está fora do “padrão comemorativo” igual seus parceiros. Na verdade, este é o selo que mais tem haver com a demanda filatélica tanto nacional quanto fora do pais, tendo um tipo de tiragem sempre limitada com comercialização pré-definida;

  •         Selo Regular

Ele também pode ser chamado simplesmente de “Selo Ordinário/Definitivo/Permanente”.

É uma emissão que não tem alusão alguma a qualquer data comemorativa, contendo sempre uma tiragem ilimitada com prazo de comercialização indeterminada. Sua circulação também não possui uma definição exata.

Sua produção foi feita pensando mais para a utilização de empresas de serviços (como o Sedex, por exemplo), contendo o benefício de serem bem auto-adesivos;

  •         Selo Promocional

Este selo é direcionado para estimular a divulgação de novas ideias ou fatos de acordo com alguma promoção específica, geralmente sendo em âmbito nacional sem nenhum tipo de tom comemorativo. Ele foi mais frequentemente utilizado pelos correios durante sua alta parceria com instituições.

O selo era geralmente pré-taxado, contendo um valor adicional vinculado a emissão. Tudo isso dependia da autorização do Ministério das Comunicações, tendo sua renda gerada e repassada da ECT para a instituição parceira em vigor na época;

  •         Selo Personalizado

Ultimo selo da lista!

Era um selo bem frequente dentro das grandes empresas. Contendo os dados e características visuais da empresa em questão, o selo era utilizado como identidade visual dentro das suas próprias entregas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *