Arquivo da categoria: História

relação de selos

O que é Filatelia?

Considerando a grande base Europeia junto a sua extensão de utilidade continental, é possível afirmar que a filatelia começou nestas regiões.

Quem sabe de filatelia hoje em dia?

Engana-se quem pensa que tudo começou apenas porque alguém teve a grande ideia de selar uma correspondência e enviar para as nossas terras, mesmo que esta seja a primeira atitude vinculada a neófita republicana. A filatelia é um importante estudo referente a conservação e utilização direcionada de selos que, por sorte, acabou chegando no Brasil.

Felizmente, nosso país foi um dos primeiros países a emitir um selo postal adesivo. Tudo isso ocorreu graças ao processo da Independência iniciada em torno de 1800 e 1801, ficando em alta até 1822. Seu estudo era ainda mais estimulado graças às ações diplomáticas e relacionamento direto com a Inglaterra.

Dentro das rodas de conversas referente a filatelia, é realmente muito comum associá-la como uma atividade cultural. Porém, ninguém se preocupa em explicar ao menos o porque disso.

Neste vídeo abaixo, ao contar as raridades da filatelia, tudo faz mais sentido:

Grande parte dos filatelistas, devido a sua grande falta de atenção atual, acaba colecionando seus selos de um lado errado do álbum.

Para você, novo filatelista, nunca se esqueça que cada selo é algo realmente individual, contendo informações únicas e nos ensinando das maneiras mais diferentes que você possa imaginar.

Pronto para a informação principal do artigo? Lá vai:

A Filatelia é cultura!

Trata-se de uma verdadeira atividade cultural devido ao mantimento de fatos históricos, acontecimentos impactantes, campanhas de pessoas, animais, novas plantas e tudo que você possa considerar como algo novo e benéfico para toda a nossa humanidade.

Filatelia

Estudar este tipo de cultura é, na verdade, absorver um imenso leque de conhecimentos diversos de maneira fragmentada. Até mesmo para os grandes filatelistas, estamos falando de algo que pode ser bastante enigmático, uma vez que as informações se dividem em selos para referenciar passagens históricas.

Quando geralmente o colecionador procura saber um pouco mais referente a figura que é mostrada no selo, geralmente os personagens que aparecem nas histórias são muito mais diversificados, tais como seus acontecimentos. Os selos modernos, por exemplo, conseguem trazer todos estes benefícios e serem realmente lindos ao mesmo tempo.

O único problema da grande “modernidade” é a falta de visão interessante para o seu conteúdo, ou seja, os colecionadores passam a se preocupar somente pela sua estética.

A grande arma da filatelia atual é sua reprodução em uma determinada pintura, chamando a atenção de novos curiosos por achar toda a obra maravilhosa. Desta maneira, a pessoa vai acabar se interessando em saber qual é o autor que está impresso no selo e nos quadros.

De maneira mais literal, podemos associar a Filatelia como o estudo de selos postais e dos materiais que estão atrelados ao mesmo. Seu termo vem diretamente do grego, unindo a palavra “philos “(amor fraterno” e “atéleia” (livre de encargos ou impostos). Antes mesmo dos mesmos selos serem inventados, seu destinatário foi efetuado como pagamento de hora para imprimi-la nos selos. Com isso, o destinatário conseguia utilizar a carga selada como pagamento. Após este período, muitas pessoas passaram a gostar bastante de receber materiais selados, tratando-se de algo realmente moderno para a época.

Diversos especialistas de vários países vêm se dedicando incansavelmente pelo tema. Muitas discussões e teorias são levantadas, além das atividades de economia e garimpagem da época. Porém, é preciso conhecer o verdadeiro valor social e financeiro que estes itens possuem. Para você ter uma ideia, existem selos que podem valer até um milhão de reais no mercado.

Ainda falando um pouco mais referente ao valor dos selos, para você ter uma ideia melhor, eles possuem um valor de acordo com o tamanho da sua raridade. Muitas vezes, eles são leiloados em casas de leilão mundialmente bem conhecidas.

Assim como algumas obras de arte, não são poucos os investidores que aplicam alguns recursos outros recursos na compra de alguns selos mais raros. Aqui no Brasil, por exemplo, os selos que chamamos de “Olho de Boi’, sendo confeccionados em meados do século XIX, são realmente raros e possuem um poder financeiro incrível.

Resumindo sua história para nossas terras, podemos afirmar com mais certeza que nosso Brasil consegue impelir grande parte das estampas impressas nos postais adesivos. Essa prática, por conseguir exercer grande poder, ainda não teve seu final. Felizmente, ainda existem pessoas cultas que ainda conseguem manter o estudo e conservação da prática de Filatelia.

Só depende de nós, amante desta cultura, conservá-la para que ela consiga atingir as próximas gerações.

grupo de selos

Quais são os tipos de selos?

Para começar a falar dos tipos de selos existentes, juntos cada conjuntura, temos que citar o começo da sua circulação.

Onde surgiram os primeiros tipos de selos?

Foi exatamente em 1° de agosto de 1843 que os correios do Império colocaram a utilização de selos oficialmente no mercado, tal como sua circulação. Tudo começou com o famoso “Olho de Boi”.

Tipos de selos

Tais artefatos foram feitos por Carlos Custódio e Quintino José de Faria, sendo impressos de maneira exata e com qualidade pela própria Casa da Moeda do Brasil sem nenhum tipo de denteação. Para isso, os confeccionistas utilizaram algumas capas de cobre para garantir a qualidade final. Dentro deste conceito, podemos destacar duas vias:

  •         Cifra:

As cifras não contém nenhum tipo de coloração adicional e consegue trazer pequenos detalhes estéticos, tais como números e qualquer outro ornamento;

  •         Fundo arabesco

Sendo bem preto e de forma elíptica, trata-se de um estilo mais simples que a cifra, mas com maior possibilidade de produção graças a sua facilidade.

Após um curto espaço de tempo onde o Olho de Boi circulou com mais força, o Império acabou por providenciar que os selos fossem melhor impressos em um formato muito menor, utilizando um papel bem mais fino com cota. Tudo isso foi autorizado graças ao Direito Geral dos Correios no primeiro dia de Agosto.

Tipos de Selos

Coleção de selos

Já entrando na era um pouco mais moderna, vou mostrar para você quais são os tipos de selos postais mais utilizados dentro do mundo da Filatelia. Lá vai:

  •         Selo Comemorativo

Ele era mais frequentemente utilizado em 2009. É um selo postal geralmente de tiragem limitada, direcionando algum tipo de comemoração ou destaque de data sociocultural. Tais selos geralmente repercutiram mundialmente por levantar um tipo de cultura típica brasileira, trazendo uma boa quantidade de ornamentos;

  •         Selo Especial

É um selo temática que está fora do “padrão comemorativo” igual seus parceiros. Na verdade, este é o selo que mais tem haver com a demanda filatélica tanto nacional quanto fora do pais, tendo um tipo de tiragem sempre limitada com comercialização pré-definida;

  •         Selo Regular

Ele também pode ser chamado simplesmente de “Selo Ordinário/Definitivo/Permanente”.

É uma emissão que não tem alusão alguma a qualquer data comemorativa, contendo sempre uma tiragem ilimitada com prazo de comercialização indeterminada. Sua circulação também não possui uma definição exata.

Sua produção foi feita pensando mais para a utilização de empresas de serviços (como o Sedex, por exemplo), contendo o benefício de serem bem auto-adesivos;

  •         Selo Promocional

Este selo é direcionado para estimular a divulgação de novas ideias ou fatos de acordo com alguma promoção específica, geralmente sendo em âmbito nacional sem nenhum tipo de tom comemorativo. Ele foi mais frequentemente utilizado pelos correios durante sua alta parceria com instituições.

O selo era geralmente pré-taxado, contendo um valor adicional vinculado a emissão. Tudo isso dependia da autorização do Ministério das Comunicações, tendo sua renda gerada e repassada da ECT para a instituição parceira em vigor na época;

  •         Selo Personalizado

Ultimo selo da lista!

Era um selo bem frequente dentro das grandes empresas. Contendo os dados e características visuais da empresa em questão, o selo era utilizado como identidade visual dentro das suas próprias entregas.